Passagens de “Educação em saúde: conhecimentos, representações sociais e experiências da doença”

Enquanto educador em saúde esta é uma tentativa de abdicar de um poder fictício e permitir ser seduzido pelo outro para criar novas ou outras representações. Aprender a relativizar os conhecimentos e permitir trocas possíveis com os sujeitos com os quais se relaciona em seu processo de saúde-doença. Como bem afirma Canguilhem (160) “a vida […]