Meninos que não pertencem a lugar nenhum

O título do texto pode remeter para crianças sem abrigo ou menores em risco, mas… nada disso… Talvez seja melhor começar por acompanhar um dia típico de um dos progenitores de um desses meninos. O pai, de manhã, desce à garagem do prédio que habita, para levar o filho ao colégio e segue para o […]

Toxicodependência e identidade de género: algumas anotações

A heroinodependência e o uso das drogas em geral sempre foi objeto de problematização científica, moral e até religiosa ao longo dos tempos. Nos finais dos anos oitenta e início da década de noventa ouvia, nos bancos da faculdade, professores que se questionavam sobre estes temas, nomeadamente Cândido da Agra. O consumo de drogas criava […]

A criação no tempo contemporâneo: a pos-escrita e a pos-psicoterapia como lugares do vazio

O tempo do agora: velocidade em circuitos informáticos. O convite ao escritor para se transformar imediatamente em espetáculo. O autor cientista: número de artigos e portfolio de citações em publicações nacionais e estrangeiras. O autor literário: obrigação de se vender, de se publicitar em redes sociais – portfolio de likes e de comentários. A importância […]

Conhecimento de si na sociedade do conhecimento – Luís Fernandes

Conhecimento de si na sociedade do conhecimento – Cinco textos inquietos Lançamento do livro 13 de dezembro | 18h15 | Reitoria da U.Porto Na quarta-feira, 13 de dezembro, será lançado o livro “Conhecimento de Si na Sociedade do Conhecimento – Cinco textos inquietos”, coordenado por Luís Fernandes. O livro reune textos de Luís Fernandes, Maria […]

A omnipotência das audiências

O cliente tem sempre razão: mas neste caso trata-se de um cliente consumidor de produtos culturais. Ou ainda, e mais precisamente: o cliente organizado em grupo. Chegamos, pois, à ideia da omnipotência das audiências. Duas ilustrações: a exigência que se fez a Salvador Sobral para tocar a sua canção mais emblemática – apesar do cantor […]

A cidade global e os movimentos de exclusão social

Desde há muito se sabe que existe uma competição espacial no interior da cidade moderna. Os mecanismos imobiliários relativos à compra, venda e aluguer de propriedades, por exemplo, ditam zonas caras, zonas in, como está na moda dizer-se, e zonas mal-afamadas em que se acumulam as situações de pobreza e de problemáticas sociais. Assim, diversas variáveis […]

“Telebullying” na Palavra Comum

A palavra para uma nova violência: novas tecnologias, novos gestos dos homens. Ou então nem tanto: a inveja, o egoísmo, a sede de poder e de riqueza. Hoje, referir-nos-emos principalmente a esta última. Mas primeiro, um breve exercício etimológico: tele, do grego, que remete para a ideia de longe, de distância; e bullying, violência continuada que […]

Objeto Totalizante e o consumo do produto mediático: notícia

No espaço mediático, o acontecimento e a sua interpretação completam, não raras vezes, um círculo em que o telespetador fica excluído. Em poucas palavras: o acontecimento representado (porque televisionado) é capturado pelos comentários que o expurgam da sua subjetividade e polissemia – isto aconteceu desta e daquela maneira. Emergem atualmente peritos de impacto na opinião pública. […]

A citação científica como arma simbólica: consequências culturais – Rui Tinoco

* (clique na imagem para a aumentar) * A aldeia global constituiu-se através da construção de redes e de contatos internacionais entre continentes. O comércio é planetário, sendo que as áreas produtivas colocam os seus produtos nos antípodas a preços competitivos. A globalização não se limitou ao comércio ou às indústrias mas à cultura e […]

Teleamnésia: o que é?

A metáfora da caverna sempre fascinou os homens desde os tempos da antiguidade, quando descrita por Platão, e simbolizou os extremos de alienação de que o ser humano é capaz. Mais recentemente Saramago no seu romance com o mesmo nome situou no grande centro comercial, um lugar fechado ao exterior, o cenário de uma alienação […]

Roubaram-me a infância! – P3

Roubaram-me a infância! Imagino este dito num adolescente ou jovem adulto. E imagino-o como uma acusação que os mais novos poderão fazer à geração de que faço parte ou, de forma mais abrangente, aos educadores e decisores nas áreas da educação e da saúde no nosso país. * Ler no P3 o texto completo aqui

Dispositivo representativo ou a arte de representar a realidade

Definir o que aconteceu. Ter o poder de escrever a história. Ou ainda um objetivo mais devastador: fazer acontecer do modo que quisermos, agora, neste momento. Estas tentações estão realmente facilitadas graças ao poder que as novas tecnologias disponibilizam. Não se pense, porém, que é uma possibilidade recente. Lembro-me de assistir a um documentário sobre […]

Trabalho e território: as tensões do presente e futuro

Rejubila uma certa direita, normalmente da área ultra-liberal, com a morte simbólica de Marx. Elenco alguns argumentos: o capital foi capaz de prevenir a organização do proletariado internacionalmente; conseguiu-o dissolver; grande parte das previsões do filósofo não aconteceu. Outros riem-se da crise do capitalismo considerando que os lucros das grandes empresas sucedem-se em catadupa – […]

Charlie Hebdo: as camadas do acontecido

O crime foi hediondo. Houve um escabroso mas inconsequente ataque à liberdade de expressão. A onda de solidariedade que se lhe seguiu foi bonita… mas também assustadora: os ganhos políticos dos intervenientes, a ideia de não nos dividirmos – que remetem para a ideia de pensamento único. Je suis Charlie proclamaram muitos, eu incluído. Rapidamente, […]