Morfina de Mikhail Bulgakov

Pequena história em forma de diário. Nele um médico, Poliakov, mantém um diário da sua dependência em relação à morfina. Elencam-se vários motivos interessantes que se viriam, posteriormente, a tornar visíveis em histórias de outros consumidores de substâncias desta família de drogas. Lembramo-nos, concretamente do motivo corporal para contacto com substância, à função de defesa […]

Dependências legais e sofrimento camuflado

O estilo de vida urbano, em que os imperativos da eficácia e da performance são cada vez mais evidentes, possui uma vertente de destruição que não é despicienda. O discurso ultra-liberal fala de empresas e de sociedades como se não existissem seres humanos. O problema é que eles existem: têm de levar os filhos às […]

A Escrita Inebriada

Segundo Vigarello, os viajantes das descobertas e de épocas anteriores descreveram experiência da ingestão de substâncias, como o ópio ou o haxixe, em função do produto mais próximo culturalmente – o álcool. Os finais do século XVIII, porém, iriam assistir a uma mudança neste estado de coisas. Diversos escritores conseguiram evocar os efeitos das drogas […]

Especialista em drogas

O especialista em drogas… só pode nascer no meio de uma sociedade em que a imagem religiosa do mundo se deslocou, e onde, por conseguinte, se perdeu o saber relativo às implicações metafísicas e ao carácter simbólico da embriaguez e dos meios de lá chegar… Ernst Junger, Drogas Embriaguez e outros temas. Lisboa: Editora Arcádia, […]

Efeitos da heroína: uma leitura longitudinal

Imagem mediática do consumidor de heroína: o escravo da substância. O corpo está sujeito aos imperativos da agulha com que se injecta (chuta). O síndrome de privação obriga às acções mais mirabolantes e impensadas: o roubo, a prostituição, o tráfico. Mas é a heroína a única responsável por esta série de consequências nefastas? Por um […]