Beckham, ficções e identidade pessoal

 Tornámo-nos todos objecto de ficção: inopinadamente um interlocutor televisivo questiona-nos na rua acerca das nossas preferências sexuais ou acerca do nosso político predilecto. A opinião evocada paira no ar uns breves momentos, já desligada da pessoa que a enunciou. Não interessa tanto o anónimo questionado, mas as posições abstractas de que serviu de exemplo vivo. […]