Provar a inocência

nossa senhora pastoraEm muitos espaços públicos dá-se a inversão do ónus da prova. É o cliente que tem de provar a sua inocência: o alarme toca à saída da loja e tem de provar que nada leva consigo. O dedo acusador é de uma máquina, o alarme… Cada vez existem mais procedimentos a excluir o humano… (voltaremos a este assunto em futuros posts).

*

Também poderá estar interessado em ler:

O consumo das famílias

Halloween ou a mudança do nome das festas

Sobre o desperdício

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s