Outras passagem de A Primeira Esposa de Françoise Chandernagor

Porque eu sabia que,se ele se enternecesse uma vez mais, hesitasse uma vez mais, ficasse uma vez mais, me censurarei depois, todos os dias, por ter cedido. Como Dido, prefiro a fogueira a uma dívida que não podeia pagar – sempre culpada, sempre humilhada. «Away, away!» A Primeira Esposa, Françoise Chandernagor, Lisboa; Livros Brasil, 1998, […]

Revenge porn: uma variação do cyberbullying

Recentemente confrontámo-nos com um novo termo, o revenge porn. Basicamente, o conceito refere-se à divulgação on-line de fotografias íntimas do ex-parceiro/a. Imagens que se obtiveram em contexto amoroso e erótico, no decorrer normal de uma relação, são depois arma de arremesso quando a relação termina e as coisas acabam por azedar A pulsão amorosa transforma-se […]

Passagem de Occupy – Noam Chomsky

«As agências de crédito partem já do princípio de que serão resgatadas quando estiverem novamente em apuros. Ora, esta situação aumenta ainda mais os riscos. Se não ocorrer uma crise no sector imobiliário, há-de ser noutro ramo, no dos bens de consumo ou noutro qualquer. Vivemos num casino de alta finança, e não numa economia protegida. […]

Sobre o deficit de atenção e a hiperatividade

Escolas científicas e modo como encaram as doenças… A escola americana, na área da saúde mental, tem uma maior tendência a mapear sintomas e a tratá-los isoladamente. Ou tende a reduzir a noção de doença, enquanto entidade nosológica, a um conjunto de sintomas. Já os europeus, e concretamente os franceses, tendem a um olhar mais complexo… Outro […]

Foucault, o primado do operatório concreto

«The intellectual was rejected and persecuted at the precise momente when the facts became inconvertible, when it was fordidden to say that the emperor had no clothes.» Não se pode pensar sobre os factos, eles são como são, e não o princípio de operações cognitivas mais complexas. Vivemos rente ao concreto, não usando as capacidades […]

«A dor de pensar»

A dor de pensar não é um sintoma que, vindo de qualquer parte, se instala no espírito em vez de ocupar  seu verdadeiro lugar. É o próprio pensamento em si que, convertido à irresolução, decide tornar-se paciente e querer não querer, querer, exactamente, não querer dizer em vez do que deve ser significado. In O […]

«A tarefa dos herdeiros» – Baudrillard

É a tarefa dos herdeiros, cujo ressentimento para com o morto não tem fim. Os museus, os jubileus, os festivais, as obras completas, os mínimos fragmentos inéditos, tudo testemunha que entramos numa era activa de ressentimento e de arrependimento. In A Ilusão do Fim de Jean Baudrillard * Também poderá estar interessado em ler: Ler […]

«Hábitos de obediência»…

Como consequência desta tensão, os hábitos de obediência e submissão que os portugueses trouxeram do autoritarismo salazarista mal começaram a desintegrar-se foram logo apanhados pelas tecnologias de controlo que surgiam. Que tipo de subjectividades está a resultar desta situação? (…) são subjectividades passivas que desposam a ilusão da actividade e da iniciativa. José Gil, Portugal […]

Ler depressa, ler devagar

Andar depressa é esquecer depressa, reter apenas a informação útil no momento, como acontece na «leitura rápida». Mas a escrita e a leitura são vagarosas, avançam para trás, na direcção da coisa desconhecida «no interior». Perde-se o tempo em busca do tempo perdido. A anamnese é o antípoda – nem isso, nem sequer existe um […]