O medo da subjectividade

balãoO mal-entendido pernicioso que pairou sobre a abordagem biográfica foi de não se ver nela senão um método privilegiado de observação do subjectivo, separando o eu dos acontecimentos e das práticas.

Poirier, Valladon e Raybant Histórias deVida, Teoria e Prática. Oeiras: Celta Editora, 1995

*

Também poderá estar interessado em ler:

Nota sobre a literacia mediática

«A dor de pensar»

A aceleração do tempo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s