Há muito tempo que te não via… mas vi?

Objetivo Promoção de reflexão conjunta sobre o que é conhecer e manter amizades em suporte informal. – 1ª fase Promove-se um diálogo sobre o seguinte assunto: há pessoas que mantêm amizades via internet. Tratam-se de pessoas que se conheceram numa época, mas que a vida acabou por separar. Será que vocês têm também antigos colegas […]

A doença da interpretação

Intervir passa muitas vezes por não intervir. A passagem de Nancy Boyd Webb (que pode ler aqui) chama precisamente atenção para esse facto. A autora realça a reserva que muitos ludo terapeutas têm relativamente a realizarem ligações verbais entre o conteúdo expresso pela criança na brincadeira e as representações a que eles remetem. A criança […]

Play therapy…

«Many play therapists are appropriately cautions and even reluctant about making direct verbal connections between a child´s life and the symbolism they notice embedded in the child´s play. When the therapist makes the child aware of the meaning behind his play, this deprives the youngster of the distance and symbolic outlet he or she needs […]

A psicologia e a psicoterapia

Pelo menos algumas sociedades de psicoterapia aceitam muitos profissionais que não psicólogos ou psiquiatras… Surgem gestores de empresas, enfermeiros, sociólogos… Todos podem fazer coaching e se interessar pelo bem estar das pessoas com que lidam… Mas como diferenciar papéis? Ouvimos em determinado contexto: “o psicólogo é só para casos mais complicados…” (há tanto tempo que não […]

A gestão das técnicas de dinâmica de grupo – notícia

A gestão das técnicas de dinâmica de grupo em contextos de promoção da saúde: um mapeamento de competências O presente artigo pretende sistematizar aspectos no trabalho de educação e promoção da saúde, nomeadamente quando se trata de intervenções em grupo. Num primeiro momento, realçamos a importância da adopção de um modelo da psicologia da saúde […]

Pés no Chão, cabeça no ar

Pés no chão, cabeça no ar O Programa de Intervenção Focalizada – PIF – foi desenvolvido pelo Gabinete de Intervenção em Saúde – GIS – visando a promoção da saúde e a prevenção do uso e abuso de substâncias psico-activas junto de cinco grupos de menores institucionalizados e considerados em risco. A aproximação permitiu olhar […]

Comunidades terapêuticas livres de drogas: da intervenção ideológica à intervenção psicoterapêutica

Artigo com fins pedagógicos sobre a evolução das comunidades terapêuticas livres de drogas. A realização deste intento permitiu a elaboração de uma lista de critérios de qualidade sobre este género de instituições. Debruçamo-nos, neste artigo, sobre o desenvolvimento das comunidades terapêuticas livres de drogas. Para isso, detemo-nos na tradição norte-americana e na tradição europeia. Estamos […]

As potencialidades clínicas do biograma – Algumas reflexões

Segundo artigo fruto dos encontros sobre o biograma realizados no CAT Cedofeita e já referidos noutro post. Pretendemos, neste trabalho, expor o nosso modo de utilização do biograma como instrumento de intervenção clínica. Procuramos, nessa reflexão, detectar as potencialidades e constragimentos do instrumentos em relação a um certo número de variáveis clínicas, nomeadamente: a relação […]