Gaming e educação para a saúde

esquina pintadaAs tecnologias permitem uma constante modificação de contextos e até a sua diluição. Expliquemo-nos um pouco melhor: nas redes sociais partilho informação com os meus amigos, familiares e até pessoas com quem tenho ou tive relações profissionais.

O gaming nasce precisamente de mais uma descontextualização do mesmo género. Graças aos desenvolvimentos tecnológicos é possível construir um contexto de jogo, incluindo a vertente da competição, em situações que normalmente não teriam esta vertente lúdica.

Esta possibilidade tem evidentes potencialidades na área da educação para a saúde. Elenquemos alguns exemplos: o caminhante que monitoriza o número de passos dados. Sabe as calorias gastas e o tempo que o percurso demorou a ser efetuado. Pode partilhar tudo isso numa rede social e receber o apoio dos seus amigos.

O desenvolvimento de jogos, videojogos, em que se alia a vertente lúdica à de aprendizagem é outra possibilidade. Jogos, quizz, respostas múltiplas… eis algumas das alternativas.

Listemos, rapidamente, algumas das variáveis ativadas pelo gaming:

– possibilidade de auto-monitorização de comportamentos salutogénicos;

– possibilidade de aliar a dimensão lúdica à vertente de informação e conhecimento;

– possibilidade de inserção da componente social.

De resto, será necessário combinar estes instrumentos com outros mais tradicionais: sessões em sala de aula; tertúlias; grupos de auto-ajuda, entre um sem número de escolhas possíveis.

*

Também poderá estar interessado em ler:

Os videojogos: notas para um debate

Videojogos PASSE

O binómio homem máquina

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s