Histórias de vida, psicologia e literatura

soldado romanoRecordo hoje um artigo que escrevia há anos, partindo de uns versos de um poeta quinhentista português, bem pouco conhecido, Vasco Mousinho de Quevedo. Eis o início do soneto que serviu de mote ao trabalho:

Quando às vezes a mi, por mi pergunto,
Quem fui responde que me não conhece
Com não ser, de quem sou me desconhece,
E tem-me por defunto, o já defunto.

(…)

O artigo procura refletir a partir de uma perspetiva da metodologia das histórias de vida, ou abordagem biográfica, as diferentes opções de construção de uma narrativa de si mesmo. Mais precisamente tenta explorá-las tendo em linha de conta a problemática do consumo de drogas.

*

Os interessados na leitura de todo o soneto poderão fazê-lo aqui

Quem quiser ler o artigo científico poderá descarregar o documento em pdf. aqui

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s