Educação de pares e educação para a saúde

arquelim2Um dos princípios pelo qual temos pugnado como boa prática na condução das dinâmicas de grupo, tem que ver precisamente com a diluição da dicotomia formador-formando. A promoção de discussão entre os participantes e a partilha de experiências é um vetor importante comum às duas abordagens.

A educação de pares, pelos pares, é isso e é muito mais do que isso. é isso no sentido de, na sala de aula, a aprendizagem passar também pela partilha de experiências entre iguais. É muito mais do que isso porque a educação de pares permite a intervenção noutros contextos que não a sala de aula.

Em que medida isso é possível? a existência, na escola, de eventos e situações festivas podem fornecer o ensejo de ações que envolvam os próprios pares. A utilização de blogues, aplicativos para a telemóveis são outras das alternativas possíveis.

Neste último caso, trata-se de compreender a apropriação social das novas tecnologias para poder usá-las na educação para a saúde.

Quem, que não os pares, para nos informar sobre essas constantes mudanças?

*

Também poderá estar interessado em ler:

Nicks e Chats: para uma etnografia do virtual

A gestão das técnicas de dinâmica de grupo em contextos de promoção da saúde: um mapeamento de competências

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s