Indeterminação biográfica: de condição natural a uma fissura na história do sujeito

revista toxicodependênciasTrabalho que propõe conceitos sobre a forma como a história de vida se organiza no percurso de uma biografia de um toxicodependente. Aproveita dois versos do poeta Vasco Mousinho de Quevedo para fundamentar as suas posições.
Neste texto, procuramos tecer algumas reflexões em torno das histórias de vida, tendo como pedra basilar o comentário de uns versos de um poeta quinhentista português. Procuramos dar realce a acontecimentos biográficos que, pela sua importância, assumem funções charneira na explicação do devir biográfico: os nós biográficos, catalizadores de coerências de vida; e as fissuras biográficas, acontecimentos que impossibilitariam a emergência de coerências de si carácter totalizador. Estes dois conceitos são propostos, respectivamente, a propósito do estudo da normalidade e do estudo dos chamados comportamentos desviantes.
Referência:
Tinoco, R. (2002). Indeterminação biográfica – de condição natural a uma fissura na história do sujeito. Toxicodependências, 8, 3, 61-67.

Leia artigo completo aqui

*

Também poderá estar interessado em ler:

Vivências de si (tese de mestrado)

Actores desviantes e fissuras biográficas

Notícias de uma investigação autobiográfica: o consumo de drogas como dilema moral

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s